- ORQUESTRA SINFÔNICA DA UFMT -



Fruto de um projeto visionário dos Reitores Gabriel Novis Neves e Benedito Pedro Dorileo, a Orquestra teve sempre a atenção dos dirigentes que, à frente da UFMT, acreditavam na importância de um conjunto especial de música de qualidade para contribuir na formação dos homens e mulheres de Mato Grosso. Com seus concertos em praça pública, onde reuniram até trinta mil pessoas, vários mato-grossenses tiveram seus primeiros contatos com o universo da música erudita ou mesmo da música popular, com arranjos especiais que garantiam a qualidade musical necessária.

O cenário musical brasileiro passou em Mato Grosso nos últimos trinta anos acompanhados pela Orquestra Sinfônica em concertos memoráveis no Teatro Universitário, Museu do Rio, Teatro do Liceu Cuiabano, Academia Mato grossense de Letras, Teatro do IFET, etc. Apresentações mágicas na Chapada dos Guimarães com Gilberto Gil, Roupa Nova, Gal Costa, Tetê Espíndola, 14 Bis, Vanguart, Macaco Bong, Linha Dura e Dj Taba, Dj Farinha, entre outros importantes artistas, estabeleceram um diferencial na história da Orquestra possibilitando que cada vez mais a comunidade pudesse ter acesso e garantia de qualidade na sua formação musical.

A música regional teve lugar de destaque na história da Orquestra quando Pescuma, Henrique, Claudinho, Pineto, China, Novos Chorões, Filhos da Pauta, Sarau Cuiabano, Erre Som, Strauss, tocaram pela primeira vez com uma orquestra sinfônica, reafirmando assim a qualidade da música mato-grossense nos mais diversos estilos. A universalidade musico – cultural foi uma marca nos últimos anos da Sinfônica.

Responsável pela montagem da primeira ópera completa em Mato Grosso nos tempos modernos - “A Flauta Mágica” de Mozart em 2006 -, a OSUFMT mostra vigor quando se une ritmos nunca antes pensados para uma orquestra sinfônica. Música eletrônica e lambadão foram ouvidos pelos instrumentos do grupo em concertos que desafiaram a capacidade musical de todos no palco. Como ferramenta de educação, com o objetivo de formação de platéia e músicos instrumentistas, propõe e desenvolve projetos de iniciação e conhecimento da música de concerto, formação de platéia como o Projeto “Divina Música” nos anos 2000 e 2003 Concertos da Paz e Natalinos, no Parque Mãe Bonifácia, além de representar Mato Grosso em outros estados.

Como forma de homenagear Mato Grosso e sua musicalidade, nos anos em que a Orquestra completou 30 temporadas, apresentou o projeto MEMORIAL 30 ANOS, homenageando grandes maestros, músicos e personalidades que fizeram a história da música de qualidade em Mato Grosso.

Quatro Maestros titulares passaram pela história da Orquestra nos últimos trinta anos: Konrad Wimmer, Marcelo Bussiki, Ricardo Rocha e Roberto Vitório. Em 2002, Silbene Perassolo foi a primeira mulher a dirigir a Orquestra, permanecendo toda a temporada. Cada um, dentro de suas características, foram condutores de um período especial para a música mato-grossense. Atualmente está sob a batuta de Fabrício Carvalho.


domingo, 15 de agosto de 2010

" Concertos Populares "


O cenário musical brasileiro passou em Mato Grosso nos últimos trinta anos acompanhados pela Orquestra Sinfônica em concertos memoráveis no Teatro Universitário, Museu do Rio, Teatro do Liceu Cuiabano, Academia Mato grossense de Letras, Teatro do IFET, etc.
Apresentações mágicas na Chapada dos Guimarães com Gilberto Gil, Roupa Nova, Gal Costa, Tetê Espíndola, 14 Bis, Vanguart, Macaco Bong, Linha Dura e Dj Taba, Dj Farinha, entre outros importantes artistas, estabeleceram um diferencial na história da Orquestra possibilitando que cada vez mais a comunidade pudesse ter acesso e garantia de qualidade na sua formação musical.
A música regional teve lugar de destaque na história da Orquestra quando Pescuma, Henrique, Claudinho, Pineto, China, Novos Chorões, Filhos da Pauta, Sarau Cuiabano, Erre Som, Strauss, tocaram pela primeira vez com uma orquestra sinfônica, reafirmando assim a qualidade da música mato-grossense nos mais diversos estilos. A universalidade musico – cultural foi uma marca nos últimos anos da Sinfônica.

" A Flauta Mágica " Primeira Ópera em Mato Grosso



A montagem da ópera “A Flauta Mágica”, de Wolfgang Amadeus Mozart, feita pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e que foi apresentada entre os dias 27 e 29 de outubro de 2006, no Teatro Universitário, reuniu grandes nomes da cena lírica brasileira da atualidade.
Dos dezesseis personagens, cinco já despontam no cenário nacional como grandes promessas da música erudita. Alguns também ganharam o gosto de platéias de outras partes do mundo. São eles o tenor Flávio Leite (Tamino), a soprano Elisabete Almeida (Rainha da Noite), o barítono Eduardo Sant´Anna (Papageno), o baixo Lukas d´Oro (Sarastro), e o contralto baixo Giancarlos de Souza (Orador). O elenco se completa com profissionais selecionados dos coros de Cuiabá, além do Coro e da Orquestra Sinfônica da UFMT, tendo como Spalla o violinista Cuiabano Yllen Almeida e Regência de Fabrício Carvalho.
O príncipe Tamino – que com sua flauta mágica, enfrenta diversos perigos e desafios, na tentativa de salvar a princesa Pamina, filha da Rainha da Noite, mantida prisioneira pelo misterioso Sarastro – será representado pelo jovem tenor Flávio Leite. Ele estreou em produções operísticas em 2002 em Porto Alegre e, desde então, faz parte de grandes concertos e óperas nas principais cidades do sul do Brasil.
Foi finalista do Concurso Internacional de Canto Manuel Ausensi em Barcelona e acaba de vencer o Primeiro Prêmio do Júri e do Público do IV Concurso Internacional de Canto de Premiá de Mar, na Espanha. Flávio também já gravou quatro discos.
O personagem Tamino não é uma novidade para ele, pois já o representou em “Die Zauberflöte”, em Mataró, na Espanha.
A soprano Elisabete Almeida é natural de Salvador, iniciou seus estudos em música na Escola de Música da Universidade Federal da Bahia, onde participou de diversos concertos e musicais com o coral infanto-juvenil da Universidade.
Como membro da Associação Lírica da Bahia, foi solista da Orquestra Sinfônica UFBA. Formada em Música – modalidade Canto – pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Elisabete tem se apresentado em diversos concertos sob a direção de renomados músicos. Foi solista à frente de orquestras como a Orquestra Sinfônica da Unicamp e a Orquestra Barroca “Harmônico Tributo”, e continua realizando repertório de soprano coloratura, executando obras camerísticas, árias de óperas e árias de concerto em diversas regiões do país.
Em 2006 já se apresentou em diversos recitais de música de câmara e ingressou no curso de Mestrado em Vocal Performance na University of Akron em Ohio, USA.
O barítono Eduardo Sant´Anna teve morou em Cuiabá entre os anos de 1989 até 1998, quando se mudou para Belo Horizonte. No tempo em que este aqui, sob a regência de Dorit Kolling, cantou no Coral Universitário (UFMT) e no Coral Catedral.
Estudou Música e participou de vários concertos sinfônicos e MPB pela Academia de Música Lorenzo Fernandez. Trabalhou também com outros profissionais reconhecidos como a Maestrina Silbene Perassolo e Ricardo Wilson Rocha.
Eduardo é dono de um privilegiado instrumento vocal e hoje uma das maiores promessas de barítono verdiano no Brasil. Sua estréia como solista de ópera foi em 1999, no Palácio das Artes em Belo Horizonte, interpretando Zuniga (Carmen), sob direção cênica de Bibi Ferreira. É vencedor de vários prêmios como o "Concurso Ópera La Traviata" e "8° Cia Opera São Paulo International Festival.
O baixo Lukas d´Oro é descrito pelo tenor Luciano Pavarotti como um dos melhores cantores de sua geração. Tem se apresentado tanto em palcos de ópera como de concerto. Considerado atualmente uma das mais belas vozes autênticas de baixo do Brasil, nasceu em Belo Horizonte e graduou-se na Universidade Federal de Minas Gerais com David Machado em Regência Sinfônica.
Aos 25 anos fez seu debut operístico no Grande Teatro do Palácio das Artes, em "A Flauta Mágica", no papel de Orador e, a partir daí, foi convidado para apresentações em diversas capitais brasileiras, especialmente como Sarastro também em "A Flauta Mágica". Vencedor de vários concursos recebeu honras no Concurso Francisco Viñas em Barcelona. Em 1994, obteve o 1º lugar no Concurso de Canto Lírico "Carlos Gomes", Prêmio "Barítono Fernando Teixeira" e 1º lugar no Concurso de Regência do Cefet-MG e, neste mesmo ano, recebeu a Comenda de Mérito Artístico da Câmara Municipal de Belo Horizonte.
Já o baixo Giancarlos de Souza atua em concertos como violonista, cantor, compositor, arranjador e regente. Bacharel em Canto, se formou no Curso Superior de Música da Escola de Musica da UFMG, em 2003. Também atuou como preparador vocal do Coro da Escola de Música da UFMG e preparador vocal do Coro Madrigal.
A Flauta Mágica em Mato Grosso conta com o apoio do Ministério da Educação, Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Prefeitura Municipal de Cuiabá, Centro Federal de Ensino Tecnológico – Cefet/MT, Unimed, Cemat, Tauro Motors, Haus Bier, Alligator’s, Academia Lorenzo Fernandez, Studio Sergio Soares. A produção nacional fica a cargo da Itaborahy Produções e a local, de Lu Mello.

terça-feira, 27 de julho de 2010

" Concerto OSUFMT 08/08/10 "


- Clique na imagem acima -
A Orquestra Sinfônica da UFMT realiza nesta sexta-feira um concerto para recepcionar os alunos neste início do 2° semestre acadêmico. A apresentação será às 17h. No domingo terá uma outra apresentação às 20h. Os espetáculos celebram os 40 anos da UFMT e serão no Teatro Universitário.
A entrada para assistir às apresentações custam um quilo de alimento não perecível e os ingressos poderão ser retirados no mesmo local. Os donativos arrecadados durante o evento beneficiarão a entidade Abrigo Bom Jesus de Cuiabá.
A apresentação contará com a participação especial do maestro Yllen Almeida, que nasceu em Cuiabá e aos 10 anos ingressou na Orquestra Sinfônica da UFMT como bolsista. Sua trajetória musical inclui prêmios nacionais e internacionais como Jovens Solistas da Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em 1997 e o Concurso Internacional Paulo Bosísio em 2001. Atualmente Yllen é spalla da Orquestra Sinfônica da UFMT, professor do Conservatório Dunga Rodrigues e violinista do projeto e-strings.
Nas duas apresentações o programa contempla Don Giovanni, de Wolfgang Amadeus Mozart, como ópera de abertura; Bachianas Brasileiras n.4 – Prelúdio, de Heitor Villa-Lobos; Concerto para duas Flautas e Orquestra RV 535, de Antonio Vivaldi (Largo-Allegro-Largo-Allegro Molto). Após um intervalo o espetáculo segue com a apresentação de Libertango de Astor Piazzola, com arranjo de José Feguri Filho e, para finalizar, Gonzaguiana de Cyro Pereira, uma seleção de músicas de Luiz Gonzaga.
O concerto terá também a participação dos músicos Frederico Mil Homens violoncelista do "Quarteto de Cordas Lorenzo Fernandez", e Sávio Barbosa, atual primeiro flautista da Sinfônica da UFMT. Os músicos se apresentarão como solistas de flauta da noite. O concerto terá a direção artística do maestro Fabrício Carvalho, Pró-reitor de Cultura, Extensão e Vivência da UFMT.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

" Ficha Técnica da OSUFMT "



SPALLA: Yllen Almeida

PRIMEIROS VIOLINOS: Eduardo Carvalho, Francisco Lopes, Priscila Carvalho, Fernando Pereira, Rafael Douglas, Carol Kelli, Rafaela Sampaio.

SEGUNDOS VIOLINOS: Henrique Ribeiro, Vanderson Silva, Lays Azambuja, Patricia Andrade, Ricardo Almeida, Ana Lúcia Taveira, Denise Senna, Andrew Wyllerson, Fernanda Donato, Lindi Mariani.

VIOLAS: Edson Assunção, Gliciane Chiarelli, Nanci Mello, Diego Lopes, Emanuel Erasmo.

VIOLONCELOS: José Feguri, Alvaro Carvalho, Conrado Ribeiro, Hellen Cristina, Karol Bataioli.

CONTRABAIXOS: Davi dos Anjos, Iracildo Medeiros, Nivaldo Cruz.

FLAUTAS: Sávio Barbosa, Frederico Mil Homens.

FLAUTIM: Frederico Mil Homens

CLARINETES: Jessica Gubert, Miciani Pinheiro.

SAX ALTO e OBOÉ: Homero Pascoal

FAGOTES: Valdir Severino

TROMPETES: Benedito Fausto, Carmo Cleber.

TROMPAS: Edson Lopes

TROMBONES: Jorival Moraes, Gunarwingren Junior.

TÍMPANOS: Euclides A. Silva.

PERCUSSÃO: Franklin Piovesan, Marcelo Mendonça.

SUPERVISÃO: Edson Assunção

sexta-feira, 7 de maio de 2010

" Orquestra Sinfônica a todo vapor no mês de Abril "


A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) preparou para o mês de abril uma série de concertos e ensaios da Orquestra Sinfônica, abertos à comunidade dentro e fora do campus de Cuiabá. Hoje (15), às 18h30, o ensaio aberto será na Faculdade de Direito (FD) da UFMT, no dia 20 acontece às 18h30, no Instituto de Linguagens (IL), no dia 22 será realizado um concerto para as escolas, às 17 horas, na Assembléia Legislativa. Já nos dias 25 e 27 serão realizados concertos no Teatro Universitário, às 20 horas e para encerrar o mês, o último evento ocorrerá, às 19 horas, no Teatro Universitário, durante o III Serex, que será aberto no dia 28. Nos ensaios abertos, o público terá a oportunidade de conhecer de perto os instrumentos que compõe a orquestra, conversar com os músicos e maestro, além de saber mais sobre os compositores que integram o programa da Orquestra Sinfônica da UFMT (OSUFMT). No repertório, obras de Richard Wagner (abertura da ópera Os Mestres Cantores de Nüremberg), Albert Ketelbey (Sanctuary of the Heart), Jean Sibelius (poema sinfônico Finlandia), Ernesto Lecuona (Andalucia), Georges Bizet (Suite da ópera Carmem) e o brasileiro Lorenzo Fernandez (Batuque, da suíte Reisado do Pastoreio).

" Orquestra Sinfônica participa de Concerto Casa Cidadã "



A Orquestra Sinfônica da UFMT fará uma apresentação na Assembléia Legislativa, na Galeria de Presidentes, nesta quinta-feira (22), às 17 horas. ´´Concerto Casa Cidadã`` destina-se, principalmente, às escolas de Cuiabá, mas é aberto ao público, com entrada gratuita. O concerto na Assembléia Legislativa faz parte da programação da Orquestra para abril, que inclui, também, um ensaio aberto hoje (20), logo mais, às 18h30, no Instituto de Linguagens (IL). Nos dias 25 e 27, serão realizados concertos no Teatro Universitário, às 20h e, para encerrar o mês, o último evento ocorrerá, às 19h, no Teatro Universitário, durante o III Seminário de Extensão do Centro-Oeste (Serex), que será aberto no dia 28.Nos ensaios abertos, o público terá a oportunidade de conhecer de perto os instrumentos que compõem a orquestra, conversar com os músicos e maestro, além de saber mais sobre os compositores que integram o programa da Orquestra Sinfônica da UFMT (OSUFMT). No repertório, obras de Richard Wagner (abertura da ópera Os Mestres Cantores de Nüremberg), Albert Ketelbey (Sanctuary of the Heart), Jean Sibelius (poema sinfônico Finlandia), Ernesto Lecuona (Andalucia), Georges Bizet (Suite da ópera Carmem) e o brasileiro Lorenzo Fernandez (Batuque, da suíte Reisado do Pastoreio).



terça-feira, 20 de abril de 2010

sexta-feira, 16 de abril de 2010

" Fabrício Carvalho - Maestro Titular "


Pró Reitor de Cultura e Extensão da Universidade Federal de Mato Grosso é Diretor Artístico e Regente Titular da Orquestra Sinfônica da UFMT há doze anos. Mestre em música pela Universidade de Campinas – UNICAMP.
Desenvolve carreira musical como maestro tendo dirigido importantes orquestras brasileiras como a Sinfônica da UNICAMP (SP), a SESI Minas (MG) e a Orquestra de Câmara do Conservatório Brasileiro de Música, do Rio de Janeiro (RJ).
Como compositor criou trilhas para teatro além de trabalhos e peças para televisão. No cinema, dirigiu a produção musical e compôs a trilha sonora do primeiro longa metragem produzido em Mato Grosso, “A oitava cor do arco-íris”, de Amaury Tangará, em 2004, com apoio da PETROBRÁS.
Dirigindo a OSUFMT, trabalhou com importantes nomes da MPB como Gilberto Gil, Gal Costa, Oswaldinho do Acordeom, 14 Bis e Roupa Nova.
Produziu e dirigiu primeira ópera realizada em Mato Grosso, A Flauta Mágica, de Mozart, em parceria e com recursos da iniciativa privada e do governo do Rio de Janeiro.
É cidadão cuiabano pela Câmara Municipal e também mato-grossense pela Assembléia Legislativa. Tem 35 anos.